Notícias

Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia leva 23 apresentações para Salvador

Buscar formas originais de expressão teatral, estimular a formação de platéia, fortalecer o teatro de grupo, experimentar novas estéticas, promover o teatro latino-americano e inserir a tecnologia no teatro. Essas são algumas das propostas da quarta edição do Festival Latino Americano de Teatro da Bahia (FilteBahia 2011), que acontece entre os dias 2 e 11 de setembro.

Durante o festival, o público poderá conferir 23 apresentações de teatro em palcos e praças públicas de Salvador e Lauro de Freitas, com a participação de grupos teatrais nacionais e internacionais de países como México, Colômbia, Chile, Argentina, Uruguai e França.

Como convidado especial, o grupo Teatret Om, da Dinamarca, participará do FilteBahia com o espetáculo 79’FJORD. Além dos diversos grupos, o festival terá também a participação da atriz, diretora e dramaturga brasileira, Denise Stoklos, considerada uma das melhores performers do mundo, com o espetáculo Preferiria, Não!.

Com organização da Carranca Produções Artísticas e do grupo teatral Oco Teatro Laboratório, o FilteBahia 2011 conta com patrocínio da Caixa Econômica Federal, da Fundação Nacional de Arte (Funarte) e apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia através do Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado.

A iniciativa, pioneira na Bahia e no Nordeste, insere o estado na rota dos grandes festivais internacionais, destaca o diretor teatral Luis Alberto Alonso, que divide a organização do Festival com o ator e produtor Rafael Magalhães.

Uma das novidades, em 2011, é a extensão do Festival para a cidade de Lauro de Freitas com apoio da Prefeitura do município através da Secretaria de Cultura e Turismo. Luis também garante que nesta edição vão ser apresentadas técnicas diferenciadas que nunca foram vistas na Bahia.

Nós temos, por exemplo, uma opera para atores, uma técnica japonesa, usando o cinema mudo, em que uma atriz faz todas as vozes dos personagens. Num outro espetáculo, a atriz/dançarina está dentro da tela. Parece que está no filme, no entanto, ela está no palco, revela.

Para Rafael Magalhães, a interação entre os grupos de pesquisa teatral no festival incentiva o crescimento e amadurecimento das artes cênicas.

Não ficamos limitados somente aos espetáculos, promovemos um forte intercâmbio e diálogo por meio de ações de formação como cursos, palestras, conferências, demonstrações de trabalho e lançamento de livros, entre as tantas outras atividades promovidas pelo Festival, destaca.

O teatro latino-americano na Bahia é quase desconhecido, estando o Brasil inserido no continente latino-americano, reflete Luis Alberto Alonso. Este encontro pretende fazer interagir estas culturas e o trajeto percorrido pelos grupos teatrais para os seus resultados artísticos, mostrando uma maneira diversificada de olhar para a sua cultura e os problemas sociais que enfrentam, acrescenta.

Atrações nacionais e internacionais
Entre os grupos que se apresentarão no FilteBahia 2011 estão Cia. Dos á Deux (premiada companhia franco-brasileira); Teatro de Ciertos Habitantes (México), formado por artistas provenientes de 13 países, com espetáculos premiados; Teatro Varasanta (Colômbia); Sin Testear (Chile); Cia. La Cuarta (Uruguay); Tangolpeando (Argentina); Teatret Om (Dinamarca); Galpão (Minas Gerais) e Clowns de Shakespeare (Rio Grande do Norte).

Em Salvador, os espetáculos vão acontecer no Teatro Vila Velha (Sala Principal e Cabaré do Vila), Teatro Castro Alves (Sala Principal e Sala do Coro), Teatro Martim Gonçalves, Teatro Gamboa e praças públicas. Em Lauro de Freitas as apresentações ocorrerão na Praça Matriz. Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) e a programação poderá ser conferida no site http://www.filte.com.br .

Além dos espetáculos, o Festival vai promover uma intensa programação voltada para artistas, diretores, pesquisadores, acadêmicos e estudantes de teatro.

A programação conta com dez demonstrações de trabalho dos grupos convidados, três cursos internacionais, dez palestras e o lançamento da segunda edição da Revista Boca de Cena – Revista de Artes Cênicas da Bahia. Também haverá uma Roda Baiana de Dramaturgia Teatral.

Núcleo de Laboratórios Teatrais do Nordeste (Nortea)
O FilteBahia 2011 também abrigará o Núcleo de Laboratórios Teatrais do Nordeste (Nortea), que visa estabelecer um encontro com grupos e pesquisadores nacionais e internacionais, nordestinos e baianos. O encontro pretende levantar os grupos que se dedicam à procura de uma forma diferenciada no fazer das artes cênicas.

Os convidados são: Teatro Base, Teatro da Queda, Núcleo de Pesquisa Vagapara, Panacéia Delirante, Oco Teatro Laboratório, Clowns de Shakespeare, Bagaceira, Imbuaça. Também haverá a presença de Denise Stoklos para dialogar sobre a sua experiência de Teatro Essencial. Outras informações no site http://www.nortea.com.br .

Espetáculos convidados
Fragmentos do Desejo (Cia. Dos á Deux – companhia franco-brasileira)

Em cena, os dois atores/diretores da premiada companhia franco-brasileira, André Curti e Artur Ribeiro, e os atores convidados Maria Adélia e Matías Chebel dão vida a alguns personagens – o pai, o filho, a governanta Olga e o cego Orlando – cujas histórias, contadas de forma não-linear, se cruzam por meio de desejos, conflitos, culpa e segredos.

A partir de uma relação pautada pela incompreensão mútua e dolorosos segredos do passado, pai e filho travam um embate surdo em busca de afirmação e reconhecimento.

São histórias gestuais sobre a diferença, sobre o desejo profundo de ser outra pessoa, sobre a ambiguidade das relações humanas e a busca da identidade. O espetáculo equilibra-se entre dois abismos: o da necessidade de dizer quem somos e o do desejo. (duração: 85 minutos)

Fragmentos do Desejo estreou em Paris e, em 2010, realizou temporada no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, onde permaneceu em cartaz por três meses, seguindo para Brasília, onde permaneceu em cartaz por um mês, também no Centro Cultural Banco do Brasil, com grande sucesso de público e crítica em ambas temporadas. Foi escolhido como um dos 10 melhores espetáculos do ano pelo Jornal o Globo.

Em 2011 o espetáculo foi selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2011/2012, para realizar uma turnê por 07 cidades brasileiras: Salvador, Recife, Natal, Fortaleza, Florianópolis, Porto Alegre e Santa Maria.

El Gallo (Teatro de Ciertos Habitantes – México)
El Gallo, criado em colaboração com o compositor britânico Paul Barker, é um encontro harmônico entre o teatro e a música contemporânea.

Uma ópera para atores que oferece a possibilidade de presenciar a intensidade de um processo criativo. Os intérpretes estão expostos, levados ao máximo das suas capacidades vocais, físicas e emocionais. (duração: 80 minutos)

El Automovil Gris (Teatro de Ciertos Habitantes – México)
O filme de cinema mudo mexicano de 1919, El Automóvil Gris, foi o maior sucesso da sua época. Numa mistura de realidade e ficção, conta a história da quadrilha do automóvel cinza (gris), que semeou o terror na cidade do México durante o caos da revolução.

Esta produção mexicana do século XXI justapõe o filme clássico com atores ao vivo, com acompanhamento de piano, inspirado na tradição benshi japonesa, além de uma atriz em cena criando todas as vozes das personagens da tela. (duração: 90 minutos)

Fragmentos de Libertad (Teatro Varasanta – Colômbia)
Oito atores se apropriaram de autores consagrados, como Dostoievski e Eduardo Galeano, da poesia colombiana e do poeta indígena Vito Apuchana.

A temática da sorte da liberdade conquistada pelos próceres da independência faz-se recorrente em todos os escritos: o quanto somos libertos e o quanto somos presos.

Fragmentos percorre a linha de pesquisa na qual a tradição e o contemporâneo dialogam harmonicamente em cena. Também tem um quê do realismo fantástico, tão forte na cultura colombiana tendo como seu exponencial o escritor Gabriel García Márquez. (duração: 90 minutos)

Sin Testear (Chile)
Uma diretora/dançarina e um designer juntam-se neste projeto para explorar a relação entre a linguagem do movimento e esse segredo contido no mistério da imagem midiática.

Sin testear (Sem testar) é uma série de investigações em processo sobre a ideia de representação além do que acontece no cenário, mas muito mais o que acontece no olhar e na mente do espectador. É uma feliz convergência entre cinema e teatro, onde a atriz/dançarina parece estar na tela do cinema. (duração: 40 minutos)

Gatomaquia (Cia. La Cuarta – Uruguai)
Gatomaquia revela as andanças de dois gatos, Marramaquiz e Micifuf, e daquilo que os enfrenta, o amor da bela Zapaquilda. Brincando com o amor, os ciúmes, a bruxaria, a guerra e a morte, o autor cria uma parodia, com este texto de 1634, da sua própria obra, se entregando ao espelho do humor, nos desenha com certo cinismo e esperteza, o melhor e o pior da condição humana.

O estilo do espetáculo vai mudando do hip-hop para a ópera, passando pelo ballet e o comic, sempre com os movimentos felinos dos protagonistas.(duração: 75 minutos)

Cacerolas (Tangolpeando – Argentina)
Respostas sociais (individuais e coletivas) dos trabalhadores argentinos frente às fissuras, crises e quebras do sistema globalizado. Com humor, ironia, críticas, absurdo e fazendo uso de música, teatro e multimídia, o objeto cacerola (panela) funciona como veículo narrativo, instrumento musical e disparador de imagens projetadas ao vivo com tecnologia trigger (sensores tácteis). São motivos identificados com o tango, a milonga, a música tradicional argentina e de raiz hispânica. (duração: 80 minutos)

79’Fjord (Teatret Om – Dinamarca/Brasil)
Inspirado num diário encontrado junto a um expedicionário congelado no frio da Groenlândia, 79’Fjord conta a história de três jovens que se aventuraram a fim de completar um mapa do país e fazer conhecido o que até agora era desconhecido para a humanidade. Toda a história é contada dentro de um iglu, lugar que no meio do gelo é o melhor espaço para se reunir, falar de heróis, tragédias, aventuras e dos misteriosos seres do mundo invisível.

O espetáculo foi pesquisado e dirigido pela inglesa radicada no Brasil, Leo Sykes, diretora da Companhia Circo Teatro Udi Grudi (Brasília). A companhia dinamarquesa Teatret Om participará como convidada especial do FilteBahia 2011 com apoio do governo da Dinamarca. (duração: 60 minutos)

Preferiria, Não! (Denise Stoklos – São Paulo)
Tem a base do texto de Herman Melville e a dramaturgia que transformou o livro em teatro foi desenvolvida dentro da estrutura de fita de Möbius.

A escolha dramatúrgica de que a personagem-título acabe num hospício e não numa prisão, como no original, é provinda do aggiornamento, um conceito de Umberto Ecco, que nos leva a outros trabalhos de Esquizoanálise, na qual o status quo é o enlouquecido. O enlouquecedor sistema consumista não coloca em prisões os fora da lei, mas coloca-os em casas de saúde mental. (duração: 75 minutos)

Till, a Saga de um Homem Torto (Galpão – Minas Gerais)
Um dia, na eternidade, o Demônio aposta com Deus que se tirasse do homem algumas qualidades ele cairia em perdição. Deus, aceitando o desafio, resolve trazer ao mundo a alma de Till.

Vivendo em uma Alemanha miserável, povoada de personagens grotescos e espertalhões, Till é abandonado em meio ao frio e à fome e descobre que a única maneira de sobreviver naquele lugar é se tornar ainda mais esperto e enganador. (duração: 90 minutos)

Sua Incelença Ricardo III (Clowns de Shakespeare – Rio Grande do Norte) Parte do texto Ricardo III de W. Shakespeare e ganha a rua através do universo lúdico do picadeiro do circo, dos palhaços mambembes, das carroças ciganas, criando um diálogo entre o sertão e a Inglaterra elisabetana.

Ricardo, duque de Gloucester, é irmão do rei Eduardo IV e planeja usurpar o trono deste nem que para isso tenha que provocar intrigas, matar aliados, amigos e parentes e faltar com a própria palavra. (duração: 75 minutos)

Conferências e Palestras
Mapeamento do teatro de grupo no Nordeste – Com o diretor teatral Fernando Yamamoto (Clowns de Shakespeare – Rio Grande do Norte) Prêmio Funarte de pesquisa 2010, o diretor traz para o Filte um mapeamento dos grupos de teatro do nordeste, mostrando a ampla rede de grupos que existe nessa região do Brasil. Com este levantamento, será lançado um livro e um website destinado a contatos e informações importantes.

Stanislavski e uma visão contemporânea – Com a professora doutora Elena Vássina (Universidade de São Paulo – USP). A professora russa Elena Vássina faz uso das suas experiências como pesquisadora da arte do ator e do método Stanislavski para dialogar com a contemporaneidade.

Formada pela academia russa e atualmente lecionando na Universidade de São Paulo, pretende dialogar com o passado e o presente de um teatro deixado no Museu do Método.

Meyerhold e o teatro contemporâneo – Com a professora doutora Beatrice Picon-Vallin (Universidade Sorbonne – Paris). Como um dos grandes reformadores do teatro no mundo, Meyerhold é de vital importância na contemporaneidade, onde artistas reunidos em grupos de pesquisa fazem uso das suas técnicas.

Depois de anos de esquecimento, Meyerhold tem se convertido em contemporâneo, quando a arte quebra fronteiras e abre caminhos a novos horizontes.

Práticas de Mediação Teatral: Estratégicas de Formação de Espectadores – Com o professor Ney Wendell (Universidade Federal da Bahia – Ufba).

Com o objetivo de ampliar o acesso e a formação do espectador, introduz técnicas de mediação teatral para serem desenvolvidas em projetos culturais e educacionais.

Uma oportunidade de aprender como unir obras cênicas e grupos aos diversos públicos de comunidade e escolas, com uso de cadernos de espetáculos, metodologias artísticas antes, durante e depois das apresentações e concepção de projetos de inserção cultural.

Fonte: Bahia Informa

Espetáculo que homenageia transformistas retorna a Salvador

 

Peça narra a história de nove transformistas

Peça narra a história de nove transformistas

A peça Sou Transformista, Mereço Respeito, que ficou em cartaz durante dois anos no Teatro da Livraria Cultura, retorna aos palcos soteropolitanos, desta vez no Teatro XVIII, no Pelourinho.

O espetáculo retrata a história de nove transformistas, ressaltando passagens importantes de suas vidas, focando na escolha e na paixão pela arte da performance.

Com elenco formado por profissionais que fazem shows há mais de 15 anos, Sou Transformista, Mereço Respeito fica em cartaz durante todo mês de setembro, sempre às 20h.

Serviço – Evento: Espetáculo Sou Transformista, Mereço Respeito
Onde: Teatro XVIII Pelourinho
Quando: 8, 15, 22 e 29 de setembro, às 20h
Entrada: R$5 (preço único)

Fonte: A tarde online

 PEÇA ‘TODO MUNDO TEM PROBLEMAS SEXUAIS’ REESTREIA EM SALVADOR

A comédia ‘Todo Mundo Tem Problemas Sexuais’, dirigida por Fernando Gomes, reestreia em Salvador, dia 09 de setembro, cumprindo temporada às sextas e sábados, às 22h, e domingos, às 21h, no teatro Jorge Amado. No elenco, estrelam: Cida Oliveira, Eduardo Albuquerque, Kadu Veiga, Mariana Moreno e Monica Bittencourt, que juntos prometem arrancar muitas risadas da plateia.

A peça, escrita pelo dramaturgo Domingos de Oliveira e o psicanalista Alberto Goldin, trata do comportamento sexual humano a partir de cartas anônimas recebidas pelo terapeuta para sua coluna publicada no jornal carioca O Globo. Seis destas cartas dão título aos esquetes que compõem o espetáculo: “Sedução”, “Fidelidade”, “Impotência”, “Perversão”, “Desejo” e “Preferências Sexuais”

Depois de ser apresentada em palcos cariocas e paulistas, a peça chegou a Salvador em 2005, obtendo grande sucesso. Com nova produção, o espetáculo volta a cartaz no Teatro Jorge Amado dia 09 de setembro,  cumprindo temporada às sextas e sábados 22h e domingos 21h.

Baseado em fatos reais
Alberto Goldin é um dos mais conhecidos nomes da atual psicanálise brasileira. Além de exercer uma intensa clínica e ter escrito pelo menos um best-seller (“Freud Explica”), Goldin escreve semanalmente uma coluna para o jornal carioca “O Globo”.

Em sua coluna ele recebe cartas, em geral anônimas, sobre problemas sexuais e tenta respondê-las do modo mais útil possível ao remetente. Este material (as cartas) demonstrou possuir um grande valor dramático e artístico. Baseados neste material, retirando sua essência, Goldin e Domingos de Oliveira, chegaram a seis episódios que, em seu conjunto, formam uma visão curiosamente profunda do comportamento sexual do homem de hoje, do homem brasileiro deste início de século.

Todo Mundo Tem Problemas Sexuais
Autores: Alberto Goldin e Domingos de Oliveira
Direção: Fernando Gomes
Elenco: Cida Oliveira, Eduardo Albuquerque, Kadú Veiga, Mariana Moreno e Mônica Bittencourt
Teatro Jorge Amado
Sextas e Sábados 22 h  e Domingos 21 h
Estréia – 9 de setembro de 2011
Temporada: Até 13 de novembro de 2011
Ingressos: R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia)
Produção: Núcleo de Produção do Teatro Jorge Amado & Canto Claro Produções
Classificação Etária:  16 anos

Fonte: Ibahia

 

ESPETÁCULO BASEADO NO LIVRO ‘DIÁRIO DO FAROL’, DE JOÃO UBALDO RIBEIRO, ESTREIA EM SETEMBRO

Estreia no dia 02 de setembro o espetáculo “Diário do Farol: onde as palavras se revelam inadequadas”, baseado no livro Diário do Farol (2002), de João Ubaldo Ribeiro. A obra, transportada para os palcos, conta a vida de um ex-padre psicopata, que decide escrever uma autobiografia revelando muitas maldades que cometeu ao longo da vida.

“Diário do Farol” é uma das obras mais polêmicas do escritor baiano, tendo seu conteúdo considerado “pesado” para adolescentes. “Os livros de João Ubaldo são muito usados em vestibulares de todo o Brasil, mas esse foi taxado como inadequado para os jovens. Nós resolvemos, então, que a censura do espetáculo será 18 anos”, revela Fernanda Paquelet, diretora do espetáculo. O projeto idealizado por Amarílio Sales, que assina o roteiro adaptado e protagoniza o espetáculo, será fiel a obra.

O espetáculo, que discute questões como relações sociais e distúrbios de comportamento, transcorre em três planos: presente, memória e alucinação, entrecruzados para contar a história deste homem atroz. Atentos a cada detalhe do enredo, o idealizador do projeto e a diretora escolheram apresentar o Diário do Farol no Espaço Cultural Barroquinha porque antes da reforma, a construção abrigava as ruínas de uma igreja secular e o narrador é alguém que exerceu o sacerdócio cristão.

Junto com o espetáculo será lançada a exposição “O Farol de Todos Nós”, também no Centro Cultural Barroquinha, sobre a vida e obra de João Ubaldo Ribeiro. A mostra contempla todos os livros do escritor, tanto adulto quanto infantil, além de fotos de todo o processo de montagem da peça, das leituras dramáticas aos ensaios, passando pelas reuniões de figurino e maquiagem, momentos registrados pelo trio de fotógrafos Alexandre Moreira, Nilson Rocha e Ricardo Konká.

Serviço
Diário do Farol: onde as palavras se revelam inadequadas
Temporada: 02/09 até 16/10; Sempre de sexta a domingo
Horário: 20 horas
Local: Espaço Cultural Barroquinha (Praça Castro Alves , s/nº – Barroquinha, acesso pela lateral do Espaço Unibanco)
Ingressos: R$20 (inteira)
Classificação: 18 anos
Informações: (71) 3498 6728

Fonte: Ibahia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s